Como abrir um negócio do zero? Confira 8 principais dicas!

6 minutos para ler

Você pensa em como abrir um negócio do zero? Esse é o desejo de muitas pessoas que descobrem qual é a sua paixão profissional, estão em busca de mais liberdade para trabalhar com o que gostam e desejam aumentar os seus rendimentos financeiros.

Porém, tirar a sua ideia do papel exige vários cuidados, já que esse processo é complexo e burocrático. É preciso seguir um planejamento adequado, do contrário, você correrá o risco de falir antes mesmo de abrir as portas do seu negócio.

E então, pretende empreender? Confira, neste post, as melhores dicas para abrir a sua empresa!

1. Pesquise seu mercado

Estudar o mercado em que você vai entrar é fundamental para moldar o seu negócio. Ainda que a sua ideia seja totalmente inovadora, certamente, existem outras empresas que oferecem um produto ou serviço semelhante. Assim sendo, é necessário conhecer a fundo os seus concorrentes, o que fazem e o que deixam de fazer.

Caso o nicho já seja muito competitivo, o ideal é buscar meios de se diferenciar para não ser apenas mais uma empresa oferecendo a mesma coisa. Torne-se um especialista na área, além de se inspirar nos acertos de quem é bem-sucedido na atividade e aprender com os erros daqueles que não engrenaram.

2. Tenha um objetivo

Para sobreviver, é preciso ter um caminho determinado para seguir. Para tanto, você deve ter metas a serem alcançadas. Geralmente, os empreendedores estabelecem novas metas a cada seis meses, mas é importante que você tenha um objetivo maior e planeje quais são os passos a serem dados para conquistá-lo.

É indicado que o objetivo seja viável, ou seja, esteja de acordo com a sua realidade e com as características do mercado em que vai atuar. Além disso, o planejamento precisa ser o mais detalhado possível, o que traz mais facilidade para executá-lo.

3. Defina o capital inicial

Saber qual é a quantia em dinheiro de que a sua empresa precisa para dar os primeiros passos é imprescindível para se organizar financeiramente. Para calcular o seu capital inicial, leve em consideração todos os recursos que são indispensáveis para iniciar as atividades, como aquisição de equipamentos, mercadorias e, até mesmo, itens de decoração do ambiente.

Tenha em mente que, nos primeiros meses de atuação, a sua lucratividade pode não ser alta e nem o suficiente para pagar as dívidas geradas pela empresa. Pensando nisso, determine um valor de capital de giro para cobrir as despesas, pelo menos, dos três primeiros meses. Com isso, você evita problemas e dores de cabeça com o seu orçamento.

4. Conheça os custos do negócio

Muitas vezes, por conta da inexperiência e da falta de conhecimento do mercado, empreendedores iniciantes têm dificuldades para visualizar todas as despesas com as quais terão que arcar durante as suas atividades.

Alguns custos, como 13° e FGTS de funcionários, precisam ser considerados na hora de contratar a sua equipe, por exemplo. Diante disso, é recomendado formar um capital reserva de contingência apenas para esses gastos.

Também vale ressaltar que você deve considerar a carga tributária que vai recair sobre o negócio, que depende do tipo de atividade que vai ser exercida.

5. Separe as finanças pessoais das finanças do empreendimento

Embora seja uma ideia simples, muitos empresários ainda têm dificuldades para separar as finanças pessoais das finanças da empresa. Tirar o dinheiro do caixa do negócio para comprar roupas ou usar o seu cartão de crédito pessoal para abastecer o estoque, por exemplo, é um péssimo hábito ao administrar as suas finanças.

Para que essa confusão não ocorra, procure definir um salário (pró-labore) para você e para os possíveis sócios conforme a lucratividade do empreendimento. No entanto, tenha cuidado, já que nem todo o lucro deve ser definido como salário, já que há que se reservar parte dele para reinvestir na empresa para que ela continue se desenvolvendo e crescendo.

6. Crie produtos ou serviços que possam ser vendidos

No que se baseia o produto ou serviço que o seu negócio vai vender? Criar uma relação com o público-alvo do seu interesse é uma ótima forma de compreender quais são as necessidades dele. A partir daí, você pode verificar se o que pensa em oferecer está de acordo com as expectativas da sua audiência.

Para se destacar, você deve apresentar algo capaz de gerar valor no mercado. O seu produto deve resolver os problemas dos seus clientes. As empresas de sucesso são aquelas que se baseiam no princípio de criar soluções que vão ao encontro das necessidades dos seus consumidores.

7. Avalie a necessidade de financiamento

Alugar um ponto comercial, comprar equipamentos e contratar funcionários requer reservas financeiras. Pode acontecer de você ter uma ótima ideia para empreender, mas não ter todo o dinheiro necessário para colocá-la em prática.

Ao se depararem com esse problema, muitas pessoas recorrem ao empréstimo bancário, porém trata-se de uma decisão bastante delicada. Afinal, se a empresa não faturar conforme o esperado inicialmente, você não conseguirá quitar essa dívida, podendo entrar em uma bola de neve de juros.

Com os custos do negócio determinados, avalie se você realmente necessita de um financiamento e se terá condições de pagá-lo nos primeiros meses de atividades.

8. Capte clientes

Resolvidas as questões burocráticas, é hora de buscar clientes. O primeiro passo é marcar presença na internet, criando um site específico para a empresa e perfis nas redes sociais.

O uso de e-mails é uma boa alternativa para fazer marketing online. Portanto, capte o contato das pessoas que entram no seu site e envie e-mails com informações úteis dos seus produtos.

Quanto às redes sociais, não se esqueça de alimentá-las diariamente com conteúdos relevantes para promover o serviço da empresa, além de informar e engajar as pessoas com a sua marca.

Vale mais abrir um negócio do zero ou investir em uma franquia?

Segundo uma pesquisa realizada pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 80% das micro e pequenas empresas acabam fechando as portas após 5 anos de início das suas atividades, enquanto, no sistema de franquias, esse percentual é de apenas 15%.

Para quem tem dúvidas de como abrir um negócio do zero, o melhor caminho é investir em uma franquia, uma vez que se trata de uma modalidade de negócio mais segura. Na franquia da corretora de seguros Vida de Ouro, você tem a oportunidade de trabalhar em um nicho lucrativo e em expansão por um valor acessível. Os franqueados também recebem todo o suporte necessário para abrir a sua unidade, tendo muito mais chances de obter êxito.

Quer ser um dos nossos franqueados? Entre em contato com a Vida de Ouro e conheça os nossos serviços e as nossas facilidades para que você seja um empresário bem-sucedido!

Você também pode gostar

Deixe um comentário